X
Menu
X

Descrição

Todos os Tours

VIP Tour – Sintra Magnífica

VIP Tour – Sintra Magnífica

Duração até 8 Horas / 200€ / Até 4 Pessoas por viatura

Horário das 9 às 18 horas

Venha descobrir a Sintra Magnífica!

Tour com passagem pelos monumentos mais importantes de Lisboa, seguindo pela linha de Cascais observando os fortes de defesa da Costa, paragem no Cabo da Roca e visita a Sintra.

Bilhetes opcionais:

Convento dos Capuchos – 6,50€*

Palácio e Parque da Pena – 14,00€*

Palácio Nacional de Sintra – 9,50€*

Castelo dos Mouros – 7,50€*

Monserrate – 7,50€*

Quinta da Regaleira – 6,00€*

*Bilhetes não incluídos e sujeitos a alteração por parte das entidades responsáveis.

 

Convento dos Capuchos

Notável pela sua pequena dimensão e despojamento de construção, bem como pela utilização de materiais naturais, as próprias pedras do local e cortiça, o convento dos capuchos albergou durante anos a Ordem de S. Francisco de Assis, materializando os seus ideais: a busca do aperfeiçoamento espiritual através do afastamento do mundo e da renúncia aos prazeres associados à vida terrena.

Palácio Nacional da Pena

Em 1838 D. Fernando adquiriu o antigo convento dos frades Jerónimos, mandado construir por D. Manuel I em 1511, e mandou construir novas alas, formando um único palácio das mil e uma noites, sob influências do romantismo alemão.

O jardim tem também grande interesse não só pela envolvência da natureza que proporciona a todo cenário, mas também pelo grande número de espécies, de onde se salientam os fetos, camélias e azáleas.

Digno de uma visita é também o Chalet da Condessa d’Edla (segunda mulher do rei D. Fernando), onde as técnicas de pintura recriam uma construção em madeira coberta por cortiça utilizada de forma pouco convencional.

Igreja de S. Pedro

A Igreja de S. Pedro foi a sede de uma das primeiras paróquias portuguesas constituída por D. Afonso Henriques após a tomada de Sintra aos mouros em 1147.

A sua traça original é medieval, tendo sido reconstruída e ampliada em 1565.

Trata-se de uma Igreja de uma só nave com uma abóboda de estilo manuelino, fachada e torre barrocas e paredes revestidas de belos azulejos azuis e brancos representando cenas da vida de S. Pedro. A imagem de S. Pedro data do século XV.

Castelo dos Mouros

Trata-se de uma fortificação que data do século X, tempo de ocupação muçulmana da Península Ibérica, que alia ao seu interesse histórico soberbas vistas sobre a Vila de Sintra e até ao Oceano Atlântico.

Após a conquista de Lisboa e Santarém aos mouros por D. Afonso Henriques em 1147 o Castelo adquiriu novos contornos e foi utilizado por vários reis com fins defensivos, como por exemplo D. Fernando I (1383).

Após os danos causados pelo terramoto de 1755 e as obras de restauro sob a égide de D. Fernando II no século XIX, realizadas ao gosto romântico da época, o Castelo ficou com a configuração que apresenta hoje em dia.

Palácio da Vila

De todos os palácios portugueses, o Palácio da Vila de Sintra é aquele que mais inalterado se manteve, apresentando o mesmo aspecto desde meados do século XVI, quando foram efectuadas as últimas modificações por ordem de D. Manuel I.

O palácio tornou-se propriedade da Coroa portuguesa a partir da conquista de Lisboa por D. Afonso Henriques, primeiro Rei de Portugal, em 1147, e foi alvo de diversas intervenções, a primeira das quais em 1281, no reinado de D. Dinis.

Sob os reinados de D. Dinis, D. João I e D. Manuel I foram acrescentadas novas alas e remodeladas outras, salientando-se no caso deste último, a introdução de elementos decorativos manuelinos e painéis de azulejos de inspiração mudéjar.

Quinta da Regaleira

Em cada recanto dos quatro hectares que constituem a propriedade da Regaleira ecoam vozes do passado e escondem-se segredos ancestrais de cultos e religiões antigas que passam pelo misticismo, alquimia, cavaleiros templários, maçonaria e uma ideologia esotérica medieval denominada Rosa Cruz.

Um tesouro a descobrir sem pressas!

Palácio de Seteais

Reza a lenda que o nome deste belo palácio se deve a uma bela moura que deu sete ais antes de morrer, durante a conquista de Sintra pelos cristãos, e que há recantos onde ainda hoje se alguém soltar um suspiro, o seu eco se repete sete vezes.

Na realidade o Palácio só foi construído no século XVIII para o cônsul holandês em Portugal, tendo o arco sido edificado em 1802 para assinalar a recepção do rei D. João VI e sua esposa D. Carlota Joaquina.

Actualmente convertido em hotel de luxo, algumas partes do Palácio podem ser visitadas e o visitante aproveitar para tomar uma refeição ou simplesmente um chá.

Palácio e Parque de Monserrate

O pequeno Palácio de Monserrate foi fonte de inspiração de geração de escritores e artistas de várias nacionalidades.

Trata-se de uma casa construída em 1789 em estilo neogótico que espelha o eclectismo do século XIX através de influências medievais e orientais posteriormente introduzidas, onde os motivos exóticos e vegetalistas da decoração interior parecem querer mimetizar o jardim exterior, que conta com centenas de espécies de diversas proveniências.

Share